CDS admite “aposentação mais vantajosa” de professores para resolver conflito com Governo
Terça, 20 Novembro 2018 15:12    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

ana rita bessa folha amalia

O CDS admitiu esta terça-feira que uma saída para o braço de ferro com os sindicatos para a contagem do tempo dos professores poderá ter como “contrapartida uma aposentação mais vantajosa”.

“Seguramente será possível, em sede negocial, encontrar um equilíbrio entre não contabilização da totalidade de reposicionamento para um grupo de professores por contrapartida para uma aposentação mais vantajosa”, afirmou a deputada centrista Ana Rita Bessa, numa conferência de imprensa sobre uma proposta do partido para o Orçamento do Estado de 2019.

O CDS propõe que seja reaberto o período negocial entre o Governo e os sindicatos dos professores, com um artigo igual ao aprovado pela maioria de esquerda para o orçamento deste ano.

A bancada centrista junta um novo número em que pede ao executivo que informe o parlamento do impacto plurianual líquido da solução que vier a ser encontrada, tendo “em conta a sustentabilidade e a compatibilização com os recursos disponíveis”.

Este foi um dos argumentos, da sustentabilidade, para o Governo minoritária do PS recusar a reivindicação dos sindicatos para que sejam contabilizados nove anos, quatro meses e dois dias, e sugerir dois anos, nove meses e 18 dias.

Na conferência de imprensa, a deputada desafiou os partidos – “porque o PS não tem maioria absoluta” – a aprovarem a proposta do CDS, a primeira a ir a votos no debate na especialidade, e criticou as ideias lançadas, “à 25.ª hora”, pelo PCP e pelo BE.

Para Ana Rita Bessa, PCP e BE “vieram à 25.ª hora e a reboque do CDS” fazer um “leilão sobre a única variável que sindicatos tinham indicado não ser critica”, o período de faseamento.

O PCP e o Bloco “foram totalmente inconsequentes nesta matéria e não conseguiram garantir nada do prometeram”, afirmou a deputada, acusando os partidos de esquerda de terem feito propostas para as chumbarem mutuamente e “de caminho” chumbarem também a do CDS.

“Não é sério, não é responsável e só há uma palavra para o descrever, eleitoralismo”, afirmou.

A votação final global do Orçamento do Estado de 2019 está agendada para 29 de novembro, estando prevista o debate na especialidade a partir da próxima semana.

Actualizado em ( Terça, 27 Novembro 2018 09:19 )
 

História CDS

user4_pic

Conheça a história do Grupo parlamentar do CDS.

Parlamento Direto

bancada copy

Videos do Plenário, comissões e outras intervenções.

Iniciativas CDS

1 reuniao gp

Projetos de Lei e Projetos de Resolução apresentados pelo Grupo Parlamentar.

Deputados CDS

News image

Assunção Cristas

Círculo Eleitoral Leiria Presidente do CDS-PP

News image

Nuno Magalhães

Círculo Eleitoral Setúbal Presidente do Grupo Parlamentar Vice-Pres...

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto Vice-Presidente do Grupo Parlamentar Vic...

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga Vice-Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Hélder Amaral

Círculo Eleitoral Viseu Vice-Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Teresa Caeiro

Círculo Eleitoral Faro Vice-Presidente da Assembleia da República

News image

António Carlos Monteiro

Círculo Eleitoral Aveiro Secretário da Mesa da Assembleia da Repúblic...

News image

Álvaro Castello-Branco

Círculo Eleitoral Porto

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Filipe Anacoreta Correia

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Ilda Araújo Novo

Círculo Eleitoral Viana do Castelo

News image

Isabel Galriça Neto

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Gonçalves Pereira

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

João Rebelo

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Patrícia Fonseca

Círculo Eleitoral Santarém

News image

Pedro Mota Soares

Círculo Eleitoral Porto

News image

Vânia Dias da Silva

Círculo Eleitoral Braga