USF Ramalde: CDS quer saber o que é que falta para cumprir acordo com a Câmara do Porto
Sexta, 30 Novembro 2018 09:53    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

USF RamaldeNuma pergunta enviada à Ministra da Saúde os deputados do CDS-PP Álvaro Castello-Branco, Pedro Mota Soares, Cecília Meireles e Isabel Galriça Neto querem saber o que é que falta para que seja concluído o processo de transferência do terreno na rua de Justino Teixeira para a Câmara Municipal do Porto, de acordo com o definido no memorando de entendimento assinado em 2016.

A Câmara Municipal do Porto (CMP), em consonância com um memorando de entendimento assinado em setembro de 2016 com o Ministério da Saúde, construiu um edifício destinado à nova Unidade de Saúde Familiar (USF) de Ramalde.

De acordo com o documento, a autarquia assumia o encargo de construir a nova USF, cabendo depois à Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) a transferência para a CMP, como contrapartida, de um terreno na rua de Justino Teixeira, destinado à instalação do campo de futebol do Desportivo de Portugal, que ficará desalojado com a construção do Terminal Intermodal de Campanhã.

Nos últimos dias, a CMP revelou que, estando o edifício da USF pronto, este não será entregue já que a ARSN ainda não procedeu à sua parte do acordo.

Em comunicado na sua página de internet, a ARSN informa que «tão rápido quanto possível e logo que o processo de transferência do terreno esteja devidamente concluído em termos legais, procederá à escritura respetiva para que as novas instalações da Unidade de Saúde de Ramalde possam iniciar a sua atividade».

O objetivo do acordo era dotar a população de referência de cerca de 14 mil utentes, servida pela USF "Novo Sentido" e antiga Extensão de Saúde do Ilhéu, bem como os profissionais que ali trabalham, com um equipamento que, para além de moderno, humanizado e devidamente equipado, pudesse responder às suas reais necessidades.

As obras de construção representaram um investimento de cerca de 750 mil euros, num edifício inacabado – entre as ruas Diogo de Noronha e D. Estêvão da Gama, no Bairro das Campinas –, agora dotado de zonas de consulta, tratamentos e saúde materno-fantil e respetivas estruturas de apoio.

O edifício está concluído há três meses e pronto para substituir as atuais instalações que não têm condições para atender a população idosa e com problemas de mobilidade.

Acresce que a CMP está a pagar cerca de seis mil euros mensais a uma equipa de segurança para evitar a degradação da estrutura pronta.

 

Deputados CDS

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Gonçalves Pereira

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga