CDS-PP recomenda ao Governo a criação de um Fundo de Emergência Ambiental para as alterações climáticas
Quinta, 14 Março 2019 18:39    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

alteracoes climaticas copyAtravés de um Projeto de Resolução, o CDS-PP recomenda ao Governo a criação de um Fundo de Emergência Ambiental, com a dotação de 30M€, que vise dar resposta a situações de emergência relacionadas, nomeadamente, com o abastecimento de água às populações, atividades económicas e a garantia da utilização máxima dos fundos comunitários disponíveis para o efeito, e quer que este fundo seja financiado através do Fundo Ambiental.

As alterações climáticas são hoje uma realidade com que todos nos confrontamos e a   maior ameaça ambiental do século XXI, com consequências profundas e transversais em várias áreas da sociedade: económica, social e ambiental.

No futuro, os seus impactos serão cada vez mais frequentes e intensos, sendo que fenómenos climáticos extremos acarretam vários perigos, como inundações, tempestades e secas.

Portugal, pela sua característica mediterrânica e de acordo com vários especialistas, é o país da União Europeia com maior risco de desertificação, fruto de secas mais frequentes e prolongadas, sendo os territórios do interior do país particularmente sensíveis a estes fenómenos.

Recentemente, o país foi fustigado com um conjunto de diversos fenómenos extremos, como secas (que em 2017 proporcionaram a ocorrência de grandes incêndios), a tempestade Leslie e quedas de granizo que têm acarretado enormes prejuízos para as populações e a economia.

Segundo um relatório da Agência Europeia do Ambiente, que contabilizou para cada país os prejuízos resultantes de fenómenos meteorológicos extremos, como cheias, tempestades e incêndios de grandes dimensões, os custos das alterações climáticas em Portugal, entre 1980 e 2013, ascendem a 6.800M€ sendo que, destes, apenas 300M€ estavam cobertos por seguros.

Este enorme prejuízo representa um custo de 665 euros per capita e de 73,5M€ por quilómetro quadrado, o equivalente a 0,14% do Produto Interno Bruto nacional.

Para fazer face a estes fenómenos, as respostas do Governo não têm sido suficientes, pelo que a existência de um Fundo de Emergência, facilmente mobilizável em situações de catástrofe natural, será de enorme pertinência.

O CDS-PP considera que o Fundo Ambiental seria o instrumento mais adequado para assegurar este fundo de emergência.

 

 

Deputados CDS

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Gonçalves Pereira

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga