CDS questiona Governo sobre novo atraso na requalificação da Linha de Cascais
Sexta, 29 Novembro 2019 00:00    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

linha cascaisOs deputados do CDS-PP João Pinho de Almeida e Ana Rita Bessa questionaram hoje o Governo sobre o mais recente atraso na requalificação da Linha de Cascais.

Nas perguntas, dirigidas aos ministros das Infraestruturas e Habitação e do Planeamento, João Pinho de Almeida e Ana Rita Bessa querem confirmação do atraso em dois anos na requalificação da Linha de Cascais, questionam quais os motivos que justificam mais este atraso e quando terá início a requalificação da Linha de Cascais e do seu material circulante.

Com o título «Investimento na modernização da Linha de Cascais atrasa dois anos» o Diário de Notícias dá conta de que «vai ser preciso esperar até ao final de 2023 para a Linha de Cascais poder receber outro tipo de comboios. Só nessa altura é que o troço que liga esta vila a Lisboa vai ter corrente elétrica igual à da restante rede ferroviária nacional.»

Há um ano, o então ministro Pedro Marques anunciava o investimento de 50 milhões de euros na Linha de Cascais, dizendo que o lançamento das obras se iniciaria no final daquele ano ou início de 2019, mas só em setembro último é que a IP formalizou o projeto através da POSEUR, a autoridade que gere estes fundos europeus.

De acordo com fonte da Infraestruturas de Portugal (IP), citada na notícia acima referida, «a concretização do projeto de modernização da Linha de Cascais ficou prevista no âmbito da Reprogramação do Portugal 2020. Entre as intervenções está a substituição do sistema de alimentação de energia elétrica [catenária]. Até 2023, estas obras serão executadas.»

Este não é o primeiro atraso na execução do Ferrovia 2020 que, quando foi apresentado em 2016 tinha conclusão prevista para o final de 2021. O Plano faz referência a um investimento na Linha de Cascais que visa a modernização do sistema de sinalização e da eletrificação e a melhoria das estações e acessibilidade - alteamento de plataformas.

A Linha de Cascais serve cerca de 25 milhões de passageiros/ano e os seus comboios são o principal meio de transporte de todos os que diariamente se deslocam para o trabalho ou para as escolas e universidades, ao longo do trajeto entre Cascais e Lisboa, e que chegam recorrentemente atrasados pelas falhas desta linha.

 

Deputados CDS

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Assunção Cristas

Círculo Eleitoral Lisboa Presidente do CDS-PP

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga