Líder parlamentar do CDS-PP junta Marcelo e Rio aos “colaboradores e aliados” de António Costa
Sexta, 24 Julho 2020 00:00    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

telmo 2020 07O líder do grupo parlamentar do CDS-PP, Telmo Correia, apontou Marcelo Rebelo de Sousa e Rui Rio como “colaboradores e aliados” do primeiro-ministro António Costa durante a sua intervenção no debate do Estado da Nação, que decorreu na manhã desta sexta-feira. Referindo-se à alteração de regimento da Assembleia da República aprovada na véspera com os votos favoráveis da maioria dos deputados do PS e do PSD, e oposição de todos os outros partidos, o deputado centrista descreveu essa “votação de bloco central” como o resultado de um “gigantesco monólito” ou “maciço central” que estará a provocar uma “asfixia democrática”.

“No topo do monólito está cada vez mais sozinho e isolado o primeiro-ministro, que só vê colaboradores e aliados para onde olha, mesmo na chefia da oposição e até na chefia do Estado”, disse Telmo Correia, juntando o líder social-democrata e o Presidente da República, que teve o apoio dos centristas em 2016, aquando da sua eleição para o Palácio de Belém, a um rol de “colaboradores e aliados” de António Costa em que o centista duvida que haja espaço para os países da “ex-geringonça”, aos quais o primeiro-ministro lançou o apelo para um entendimento duradouro logo no início do debate.

Sem esquecer agradecimentos irónicos ao primeiro-ministro por “ter perdido a manhã para estar aqui connosco quando poderia estar a trabalhar, como diria o dr. Rui Rio”, Telmo Correia começou a sua intervenção dizendo que a pandemia de Covid-19 exacerbou “duas das maiores especialidades do PS e do Governo, a retórica socialista e estatista e a propaganda sem limites”.

Dizendo que a avaliação do Estado da Nação “é indissociável, para o bem e para o mal, da forma como o país enfrentou e está a enfrentar a pandemia”, elogiou sobretudo a “forma exemplar como os portugueses reagiram civicamente à pandemia”. “O povo foi mais sagaz do que quem o governa”, sentenciou o líder parlamentar do CDS-PP.

Recordando que “muita coisa faltou nos lares, nos hospitais e aos profissionais de saúde” e concordando que o confinamento e a declaração do estado de emergência foram decisões corretas”, Telmo Correia lembrou que vários países com governos de centro-direita “tiveram resultados muito melhores do que Portugal” na contenção da Covid-19.

Segundo o deputado centrista, “desconfinámos sem cautelas, sem a realização massiva de testes, sem a famosa aplicação, sem cuidados nos transportes públicas e sem a diferenciação geográfica que se impunha”.

 

Deputados CDS

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto Presidente do Grupo Parlamentar

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Gonçalves Pereira

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga