CDS questiona autarquia sobre obras por concluir na Escola Básica Bairro do Restelo, em Lisboa
Sábado, 12 Setembro 2020 16:53    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Escola Basica Bairro do ResteloNuma pergunta dirigida ao Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, os deputados do CDS Ana Rita Bessa e João Gonçalves Pereira querem saber qual a data prevista para a conclusão das obras na Escola Básica Bairro do Restelo, em Lisboa, e quando poderão os alunos ser transferidos para aquele estabelecimento de ensino.

Os deputados do CDS questionam ainda se os alunos vão continuar a ter aulas em contentores na Escola Secundária do Restelo até serem transferidos para a escola de origem, e se sim, se estão garantidas todas as medidas de segurança sanitária a alunos, professores e pessoal não docente.

A menos de uma semana do início do ano letivo, a Escola Básica Bairro do Restelo, em Lisboa, não tem condições para receber os alunos devido aos trabalhos de reabilitação em curso, e que já deveriam ter sido concluídos.

Os trabalhos começaram em abril de 2018, divididos por três fases, mas seis meses depois, os problemas eram já evidentes: “O atraso é de cinco meses", lê-se na ata de reunião entre a autarquia, a direção da escola e a associação de pais realizada a 13 de novembro desse ano.

A obra, ordenada pela câmara, ficou a cargo da Sociedade de Reabilitação Urbana Lisboa Ocidental (SRU), uma empresa municipal que ganhou preponderância na execução de obras na cidade. Foi a SRU que lançou o concurso público e escolheu o empreiteiro.

A 22 de janeiro de 2019, a perspetiva era que a empreitada derrapasse seis meses. "Neste momento devia estar muito mais adiantada […]. Não se prevê que esteja concluída antes de janeiro de 2020. A primeira fase deverá ser concluída até ao final do ano letivo (junho de 2019)", diz a ata.

Três meses depois, em abril do ano passado, a SRU continuava a assegurar a conclusão da primeira fase em junho e da segunda em agosto, perante a desconfiança dos pais. Em julho, porém, chegou a confirmação: "Estima-se que a primeira fase termine daqui a um ano, resumindo temos mais dois anos de obra", diz a ata. Ou seja, julho de 2020.

O estabelecimento de ensino, situado na Praça de Goa, está em obras há quase dois anos e meio e as aulas têm decorrido em contentores na Escola Secundária do Restelo, mas os pais esperavam que no início deste ano letivo as crianças regressassem à escola de origem.

Porém, até agora, impera o silêncio, e não há qualquer resposta, o que leva os pais a afirmarem que uma das coias que mais os incomoda é a falta de comunicação.

Na semana passada, a associação de pais enviou uma carta à câmara e à SRU em que pedia “uma informação atualizada sobre o início do ano letivo” e queixando-se de nunca receber “qualquer resposta oficial” sobre “o andamento das obras e a sua data de conclusão”.

Acresce que a associação está preocupada, caso as aulas se mantenham nos contentores - os alunos estiveram nos últimos anos em monoblocos, as condições não são as ideais e há problemas sempre que chove.

 

Foto: DR

 

Deputados CDS

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga Presidente do Grupo Parlamentar  

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto  

News image

João Gonçalves Pereira

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro