COVID-19: CDS quer testagem no Ensino Particular e Cooperativo
Segunda, 08 Março 2021 14:51    PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

teste covidOs deputados do CDS Ana Rita Bessa e Telmo Correia questionaram hoje o Ministro da Educação sobre a exclusão do Ensino Particular e Cooperativo da testagem rápida aprovada pelo Conselho de Ministros eletrónico de 7 de março.

Ana Rita Bessa e Telmo Correia questionam: 1) Se o objetivo é o de salvaguardar a saúde pública, vão incluir os alunos que frequentam escolas privadas – de qualquer ciclo – nos testes em massa?; 2) Se o objetivo é o de salvaguardar a saúde pública, vão incluir os professores das escolas privadas na mesma fase de prioridade de vacinação que os professores e não docentes das escolas públicas?

O Comunicado do Conselho de Ministros eletrónico de 7 de março dá conta de que foi aprovada uma «resolução que autoriza a realização de despesa, por parte da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares e do conselho diretivo do Instituto da Segurança Social, I. P., com a aquisição de serviços de realização de testes rápidos de antigénio em estabelecimentos de educação e ensino públicos e em respostas sociais de apoio à infância do setor social e solidário, até ao montante global de €19.802.880,00.

Desta forma, o Governo pretende preparar a reabertura gradual e sustentada das atividades presenciais, dando continuidade à implementação da Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2 2020.»

No mesmo dia, a AEEP - Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo pediu uma clarificação do Governo sobre testes rápidos à covid-19 para professores e alunos do ensino privado, considerando, face ao texto do comunicado do CM, a existência de uma «inaceitável discriminação».

Através de um comunicado enviado à agência Lusa, a AEEP questiona se «a saúde das crianças e jovens que frequentam o ensino privado não tem o mesmo valor e dignidade que a dos que frequentam o ensino estatal?», não compreendendo os seus responsáveis que «numa situação de grave pandemia, que obriga até a estados de emergência, […] possa haver uma distinção entre professores e alunos do público e do privado».

O CDS concorda com as preocupações manifestadas pela AEEP, considerando, também, que professores e crianças e jovens que frequentam o ensino privado têm de ter exatamente a mesma proteção de saúde que os do ensino público.

Uma política de saúde pública não pode penalizar alunos e docentes das escolas privadas, até porque isso contraria o objetivo originário de proteção da saúde de todos. Esta matéria não é de política educativa, e não deve refletir as habituais – e erradas – escolhas de base ideológica do Ministério da Educação.

Entendemos por isso ser pertinente questionar o Ministro da Educação sobre este assunto.

Actualizado em ( Segunda, 08 Março 2021 15:22 )
 

Deputados CDS

News image

Telmo Correia

Círculo Eleitoral Braga Presidente do Grupo Parlamentar  

News image

Ana Rita Bessa

Círculo Eleitoral Lisboa

News image

Cecília Meireles

Círculo Eleitoral Porto  

News image

João Pinho de Almeida

Círculo Eleitoral Aveiro

News image

Pedro Morais Soares

Círculo Eleitoral Lisboa