CDS questiona Governo sobre "limitações" em acesso a embarque no aeroporto do Porto
Terça, 16 Outubro 2018 15:53    Versão para impressão

aeroporto sa carneiroO CDS-PP questionou o Governo sobre o “mau funcionamento” no acesso à zona de embarque através dos canais prioritários no aeroporto do Porto, considerando que "está a funcionar com muitas limitações", anunciou hoje aquele grupo parlamentar.

Numa pergunta enviada ao governo, os deputados centristas sublinham que já em 03 de julho deste ano tinham questionado o ministro do Planeamento e das Infraestruturas sobre esta matéria, mas até ao momento não obtiveram qualquer resposta, apesar das "insistências feitas nesse sentido, a 07 de setembro e a 10 de outubro".

Nessa pergunta, o Grupo Parlamentar do CDS questionava sobre o acesso ao “canal prioritário ‘fast track'” que está "a funcionar com muitas limitações (e de forma desorganizada), o que tem originado inúmeras queixas de passageiros".

Na pergunta ao Governo, os deputados afirmam que "os passageiros que acedem a este canal (portadores de bilhetes em primeira classe, classe executiva, titulares de cartões corporativos ou que pagam o serviço de forma suplementar) são, no fim do corredor, encaminhados e ‘misturados’ com os passageiros que acedem pela entrada prioritária para pessoas idosas, grávidas e com crianças, acabando todos por usar a mesma linha de rastreio e não uma dedicada exclusivamente ao ‘fast track’".

Esta situação, sublinham, "tem causado momentos embaraçosos, com trocas de palavras entre passageiros destes dois corredores prioritários, pois no fim de cada um dos corredores as filas confluem e alguém tem de ceder passagem".

Ainda no dia 15 de outubro "foram várias as situações relatadas por passageiros, quer de um quer de outro canal prioritário, que acederam à zona de embarque do aeroporto", denunciam os centristas, questionando qual a razão para não estar “a funcionar a linha de rastreio dedicada ao canal ‘fast track’".

De acordo com o grupo parlamentar, "o aeroporto dispõe de linha de rastreio dedicada ao ‘fast track’, mas raramente é utilizada, pelo que os longos tempos de espera na área de segurança do Aeroporto Francisco Sá Carneiro não se devem à falta de espaço nem de equipamentos, mas sim de funcionários".

Os deputados exigem ainda saber "qual a explicação para os passageiros que acedem pelo canal ‘fast track’ estarem a ser encaminhados para a linha de rastreio de segurança de pessoas idosas, grávidas e com crianças", se é intenção da Ana - Aeroportos de Portugal "proceder a uma separação clara (e física) entre estes dos canais de acesso prioritários” e, “se sim, como e quando".