Tragédia Borba: "Governo devia preocupar-se em saber se há outros casos"
Quarta, 21 Novembro 2018 23:07    Versão para impressão

pedro mota soares folha cdsPedro Mota Soares acusa o primeiro-ministro de não “querer assumir responsabilidades” perante o aluimento de terras que matou duas pessoas e fez, alegadamente, três desaparecidos.

Mariana Mortágua e Pedro Mota Soares foram os convidados do Esquerda Direita, desta quinta-feira. O principal tema de conversa no espaço de comentário político da SIC Notícias foi a tragédia de Borba e a atribuição de responsabilidades da mesma.

Para o antigo ministro da Solidariedade, Trabalho e da Segurança Social não há dúvidas que o Governo tem responsabilidades em ter deixado que a estrada, arrastada pelo aluimento de terras da pedreira de Borba, não fosse fechada provocando a morte, alegadamente, a cinco pessoas.

“O Estado falhou claramente a estas pessoas, como infelizmente já tinha falhado nos fogos de Pedrógão, como infelizmente falhou nos fogos do 15 de outubro e como, infelizmente, falhou nos fogos em Monchique este ano. Infelizmente o Estado falhou e voltou a falhar”, acusou Pedro Mota Soares, acrescentando que “as palavras do primeiro-ministro, são palavras de alguém que não quer assumir responsabilidades” tal como fez na altura dos incêndios.

Para o centrista, o Executivo devia “estar preocupado em apurar responsabilidades e em perceber se existe outros casos semelhantes pelo país”, mas, em vez disso, o Governo pede uma inspeção, exclusivamente, para o conjunto de pedreiras que existem na zona, esquecendo as restantes infraestruturas semelhantes existentes.

Já Mariana Mortágua assume ter dúvidas sobre o assunto. Para a deputada do Bloco de Esquerda ainda há muitas questões por esclarecer até apurar as responsabilidades do aluimento de terras mortal.

 

Fonte: Notícias ao Minuto / SIC Notícias

 

Actualizado em ( Domingo, 25 Novembro 2018 20:17 )