CDS questiona Governo sobre ponte rodoviária na EN2, que liga Peso da Régua a Lamego
Segunda, 14 Janeiro 2019 17:56    Versão para impressão

ponte peso da reguaNuma pergunta enviada ao Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, os deputados do CDS-PP Pedro Mota Soares, Hélder Amaral e Álvaro Castello-Branco querem confirmação de que a Autarquia de Peso da Régua vem, desde há um ano, a alertar a Infraestruturas de Portugal, I.P., para o estado de degradação da ponte rodoviária, integrada na EN2, que liga Peso da Régua a Lamego.

Os deputados querem também saber se o Ministro está em condições de garantir que o atual estado da ponte – cuja pouca largura obriga a que frequentemente as viaturas, sobretudo as pesadas, galguem os passeios –, não coloca em causa a circulação pedonal e/ou a circulação automóvel.

Finalmente, questionam com que frequência tem a IP realizado vistorias a esta ponte, quando foi a última e com que resultados, e para quando está prevista a necessária intervenção de alargamento do tabuleiro desta ponte.

De acordo com notícias veiculadas na comunicação social, desde há um ano que a autarquia de Peso da Régua tem vindo a alertar a Infraestruturas de Portugal, I.P. para o estado de degradação da ponte rodoviária, integrada na EN2, que liga Peso da Régua a Lamego, nomeadamente nas zonas de tabuleiro e pilares de vedação.

Em declarações à comunicação social, o autarca considera que poderá estar em causa, tanto a circulação pedonal como a circulação automóvel, sublinhando que “a situação de perigo se poderá agravar pelo facto de, por se tratar de uma via de circulação estreita, ocorrerem frequentemente, galgamento dos passeios por parte de viaturas, situação do conhecimento da Infraestruturas de Portugal. O risco é a cedência de uma das plataformas pedonais laterais.”.

Revela ainda que já questionou a IP quanto à realização de vistorias recentes às condições estruturais da ponte e sobre a segurança devida aos cidadãos que a utilizam. “Há cerca de um ano, a Câmara Municipal do Peso da Régua apresentou proposta à Infraestruturas de Portugal para a eliminação dos passeios e aproveitamento desse espaço para o alargamento da faixa de rodagem. Em resposta, a IP informou que «não tem prevista nenhuma intervenção de alargamento do tabuleiro da Ponte integrada na EN2»”.

Trata-se de uma via inicialmente pensada para ser uma ponte ferroviária, mas que nunca chegou a ser construída, e que é agora uma ligação rodoviária, muito estreita para que dois veículos pesados se cruzem sem galgar o passeio. O intenso volume de tráfego, além destes constrangimentos, provoca também graves perturbações de trânsito em todas as vias envolventes, afetando, por consequência, a própria cidade de Peso da Régua.