CDS questiona tutela sobre desligamento da Linha de apoio psicológico à PSP
Segunda, 01 Julho 2019 17:24    Versão para impressão

psp agenteNuma pergunta dirigida ao Ministro da Administração Interna, os deputados do CDS-PP Nuno Magalhães, Telmo Correia e Vânia Dias da Silva querem saber se a tutela tem conhecimento do desligamento da Linha de apoio psicológico à PSP.

Os deputados questionam também se o ministro tem conhecimento das reivindicações dos profissionais (psicólogos) que trabalham na referida Linha e que resposta tem para estes profissionais.

Por fim, Nuno Magalhães, Telmo Correia e Vânia Dias da Silva questionam quando prevê o ministro que o funcionamento da Linha seja retomado, e querem saber se o ministro mantém confiança no Diretor Nacional da PSP (DN-PSP), considerando a forma como tratou esta questão, desvalorizando a importância deste instrumento para o bem-estar psicológico dos agentes da PSP.

A imprensa dá conta de que a SOS Linha Verde 24 Horas Urgência, para apoio psicológico aos agentes da PSP, se encontra desligada.

A situação foi constatada, após ter sido tentado o contacto por agentes da PSP da Esquadra do Aeroporto do Funchal, na sequência de eventos ocorridos no decurso do último fim-de-semana, e que inclusivamente levaram a uma tentativa de suicídio de um dos agentes, atualmente em estado de coma.

A referida linha encontra-se ao serviço dos agentes da PSP há cerca de 19 anos, e tem servido para evitar muitas situações limite como a que acima se descreveu e, em consequência, o agravamento das cifras negras relativas aos suicídios nas forças de segurança, que são as mais elevadas de entre todos os grupos profissionais com missões públicas.

Aparentemente, o encerramento da linha terá sido uma das hipóteses, adiantada pelos profissionais que nela trabalham ao DN-PSP, que não são suficientemente remunerados para assegurar um serviço de 24 horas.

O DN-PSP conformou-se com esta possibilidade, e nada fez até ao momento para repor o funcionamento da linha, apesar dos insistentes pedidos de profissionais da PSP e de responsáveis sindicais.

 

Foto: DR

Actualizado em ( Segunda, 01 Julho 2019 18:28 )