Governo: CDS classifica novo executivo de "ultra-mega-grande" e desafia Costa
Quarta, 30 Outubro 2019 00:00    Versão para impressão

cecilia 15O CDS-PP inventou hoje uma nova designação do Governo do PS, com 70 membros, designando-o de “ultra-mega-grande”, e voltou a acusar os socialistas de baterem outro recorde, o da carga fiscal.

Foi na estreia como líder parlamentar dos centristas que Cecília Meireles atacou o “recorde nacional” do número de ministros e secretários de Estado no novo executivo, durante o debate do programa de governo na Assembleia da República.

“É um recorde nacional da dimensão, é um governo ultra-mega-grande”, disse Cecília Meireles.

Por fim, desafiou o primeiro-ministro, António Costa, a esclarecer se é ou não a favor da regionalização, que poderá vir a criar “mais 400 cargos políticos”, e fez uma proposta, a do alargamento da ADSE, como o CDS-PP já fizera antes e durante a campanha eleitoral para as legislativas de 06 de outubro.

Cecília Meireles desafiou Costa a esclarecer se o governo vai ou não "defender a regionalização", dado que o "programa não esclarece", ao que Costa se insistiu no debate e na ideia de que a criação das regiões "não é uma bravata" e não deve significar "um aumento da despesa".

O primeiro-ministro admitiu que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, é contrário a esta medida, como foi na década de 1990, e é preciso garantir que a "regionalização não é uma bravata e tem condições para avançar".

Para António Costa, é preciso evitar se seja dado “um tropeção como o de há 20 anos”. Ainda hoje, segundo anunciou Cecília Meireles, o CDS-PP vai apresentar uma proposta no parlamento para o alargamento da ADSE a todos os portugueses, uma medida que consta do programa eleitoral com que os centristas se apresentaram às eleições, e surge no dia em que foi divulgado um relatório sobre o futuro deste subsistema de saúde, que pode entrar em défice já em 2020.

 

Fonte: Lusa

Actualizado em ( Quinta, 07 Novembro 2019 14:42 )